sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Amor é só uma palavra

Amor é só uma palavra
Johannes Mario Simmel (Nova Fronteira, 1993)

Toda vez que ouço Blowing in the wind eu sinto um estranhamento, uma angústia fora do lugar - e não é por causa da cantoria do Suplicy nem pela versão em português do Zé Ramalho para as músicas de mr. Zimmerman. Hoje, do nada, eu tive um insight: a não ser que eu já esteja entrando na fase de virar paciente do Oliver Sacks ou que minha memória tenha dado os últimos suspiros, os versos de Blowing in the wind me fazem lembrar desse livro muito triste e deprimente que eu li, quando mais?, na adolescência.

Até onde a memória consegue ir (e pode ser que daqui pra frente tudo não passe de invenção da minha cabeça), a música de Dylan era meio que a trilha sonora da história de amor entre um jovenzinho rico, que ainda estava na escola, e uma mulher mais velha e casada. O livro começa com o sujeito morto, enforcado numa casa na árvore. E vai contando em flashback porque morreu daquele jeito, os planos que ele e a namorada faziam para ficar juntos, a chantagem que começaram a sofrer, as ameaças feitas por um anão - ou alguém muito deformado, agora não sei. Pensando em retrospectiva, não me parece um bom livro. Assim como Nem só de caviar vive o homem, outro Simmel feito sob medida para a minha adoleslcência.

4 comentários:

Laura Vieira disse...

O autor, J. M.Simmel, faz referência direta a tal canção na obra "Só o vento sabe a resposta."
Li a obra "Amor é só uma palavra" quando era uma adolescente também.Confesso que senti uma identificação fortíssima com o protagonista.Todos os personagens de Simmel são tão frágeis e angustiados...

Jeff disse...

Esse livro não é bom? Ele é maravilhoso! Em primeiríssimo lugar, porque adoro a característica do Simmel de sempre homenagear uma grande música do título à história, dando aos personagens uma trilha sonora que toca em nossa mente - e toca o nosso coração. Segundo pela extrema humanidade dos personagens, seres imperfeitos, verdadeiros anti-heróis, mas com uma admirável capacidade de amar, e de esperar pela felicidade, mesmo - e daí tão particular à vida real - o que os aguarda mais adiante é um destino trágico.

Anônimo disse...

O livro é uma mistura de drama, suspense, romance onde todos os sentimentos do ser humano são explorados e evidenciados. Ao le-los nos vemos refletidos nas suas paginas.
Amei tanto le-lo que ele se destaca no meu rol de leituras anuais, portanto perdi a conta das vezes que o reli.

José Ferreira Neto disse...

Já li praticamente todos os livros do Simmel e são excelentes, pra mim é um dos melhores autores/escritores que já li.