segunda-feira, 21 de julho de 2008

501 must-read books

501 must-read books
(Bounty Books, 2006)

Eu evidentemente não tenho a conta de quantos livros já li - bem mais que 501, eu suponho. E mesmo com pilhas e pilhas de livros não lidos se acumulando ao lado da cama, numa cadeira da sala, em prateleiras do armário, não consigo resistir a esse tipo de obra que traz os imperdíveis, os você-tem-que-ler, os meus-títulos-preferidos, seja lá de quem for.

Essa obra coletiva lançada por uma editora britânica está dividida em oito capítulos: literatura infantil, ficção clássica, história, memórias, ficção moderna, ficção científica, thrillers e viagens. E o mais divertido é contar quantos eu já li. Sempre dá vontade de roubar um pouquinho - ter visto Alice no país das maravilhas, o desenho de Disney, equivale a ter lido a obra de Lewis Carroll? E as histórias que a gente começa e larga pela metade? Ou as que a gente leu e não lembra? Ok, eis a minha conta, sem contar as versões pro cinema e incluindo as esquecidas: 16 infantis, 8 clássicos, 1 (!!!) de história, 1 (!!!) de memórias, 14 de ficção moderna, 1 de ficção científica (A invenção de Morel, que eu classificaria de outra forma), 4 thrillers e nenhum (!!!) de viagens. Bom, mas só há dois brasileiros na lista: Dona Flor..., de Jorge Amado, e Memórias Póstumas..., de Machado de Assis.

2 comentários:

César disse...

Eu também não resisto a esse tipo de livro, nem que seja para também ver os quais já li. Mesmo assim acho-os ridículos, "must read" por que? Igual quando vejo aqueles do tipo "livros que você tem de ler antes de morrer"? Tem por que? Que obrigação é essa? Quanta gente já nasceu e morreu sem ler esses livros e quantos outros continuarão assim. É uma espécie de obrigação boba quando na verdade muitos outros que não estão na lista podem ser muito mais significantes para cada um.
Aproveito para dizer que adoro o blog e venho aqui sempre!

Isabel Pinheiro disse...

Concordo, César. Nada de obrigações - mas acho que é por isso que esses livros vendem, né, por mexer na "culpa cultural" das pessoas... Sabe o que eu tenho vontade de fazer? Uma lista dos livros que eu não li, não tenho vontade e provavelmente nunca lerei, começando por esses que estão sempre nas listas "obrigatórias". Sei lá, Ulisses. As ilusões perdidas. Guerra e Paz. Não é rabugice: é falta de vontade mesmo... Um abraço!