quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Chama e cinzas

Chama e Cinzas
Carolina Nabuco (José Olympio, 1947)

Alguém há de se lembrar de uma novela exibida nos anos 80, chamada Bambolê. Pois era baseada - ainda que de longe - neste livro de Carolina Nabuco (filha e biógrafa de Joaquim Nabuco), uma historinha aparentemente ingênua e agradável ambientada no Rio de Janeiro, mas que contava um drama... bem, novelesco. Não me lembro do nome dos personagens além de Álvaro, um viúvo pai de três filhas, meio falido, que gostava de levar a vida na flauta. Cabia à filha mais velha pensar na família: ver se o dinheiro dava para as compras, providenciar as refeições, cuidar para que a casa estivesse em ordem. Vai que um dia essa filha número 1 conhece um rapaz bonitão e simpático, e se interessa por ele. Vai que a filha número 3, a irmã mais nova, se apaixona pelo rapagão - e ele escolhe a mais moça em lugar da número 1. Mais enredo de novela? A filha número 1 abre mão do namorado em favor da irmã e acaba se casando com um homem bem mais velho, amigo de seu pai.

É novelinha, é água com açúcar, e também bem bacana. Carolina Nabuco é autora de outro livro que foi parar nas telinhas: A sucessora. Consta, aliás, que esse seu livro foi plagiado por Daphne du Maurier, autora de Rebecca - um sucessão nas telonas de cinema pelas mãos de Alfred Hitchcock. Que as histórias são muito semelhantes, não há dúvida. E o livro de Carolina Nabuco foi publicado em 1934, quatro anos antes de Rebecca.

Um comentário:

GILREZ disse...

Como disse, bem novelinha, mas nem por isso deixa de não ser maravilhoso, feliz de quem leu, assistiu ambas as novelas, tanto A Sucessora como Bambolê, são novelas ótimas, e baseadas nos romances desta escritora maravilhosa, Carolina Nabuco, que nos presenteou com suas lindas histórias, simples mas envolventes.