terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Precautions

Precautions
Eugenio Montale

Há dias eu acordo com esse poema do Montale na cabeça, nessa versão em inglês que não sei quem traduziu, e que conheci quando o metrô de Nova York resolveu fazer uma campanha edificante para apresentar poesia às pessoas. (Aliás, não sei nada sobre Montale - se chegou a escrever em inglês, se esse poema foi realmente traduzido.) Here it goes:

Not incorrectly
they advised me
to use the long spoon
if I went to dine with the devil.

Unfortunately
on those rare occasions
the only one available
was short.

5 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom poema, maravilha, não conheço montale tampouco, mas deu vontade...
beijo,
clara lopez

K. disse...

um comentário nada literário: nossa, quando eu bati o olho, eu pensei que fosse o FHC, hehe.

E viva os marcadores! ;-)

Beijos!

Leitor disse...

Também sabia muito pouco sobre o Montale. Passando por uma banca na Vicente Rao vi um livro dele - Diário Póstumo - por R$ 9,90. Edição bem cuidada, bilingüe ... comprei, né. Um cara que ganhou o Nobel e que aos 72, conquistou uma "garota" de 27, merece ser lido .... O Montale montou um engenhoso esquema para a publicação dos seus poemas após a morte .... mais fotos e poemas em http://www.culturapara.art.br/opoema/eugeniomontale/eugeniomontale.htm
ou http://it.dada.net/freeweb/eugeniomontale/ ... Abraço

Isabel Pinheiro disse...

Leitor, obrigada pelos endereços. Essa edição do Montale que você comprou, pode dizer qual é a editora? Um abraço, Isabel

Leitor disse...

Oi Isabel

A editora é a Record, edição de 2000 com introdução e tradução do Ivo Barroso. Acho que não é um Montale "típico", não sei se foi na introdução ou em outro lugar, mas li que chegaram mesmo a acusar a Annalisa Cima - a musa do Montale - de ter forjado os versos. Pelo pouco que li do Montale, achei-o bastante "cerebral". Eu não sou um leitor muito crítico de poesia, sou daqueles que preferem o Bandeira ou o Drummond ao João Cabral .... a emoção e a sonoridade me tocam mais ..... Gosto muito, mas muito mesmo do Paulo Leminski .....

Abraço