quinta-feira, 30 de outubro de 2008

As brumas de Avalon

As brumas de Avalon
Marion Zimmer Bradley (Imago, 1989)

Eu tinha uns 15 anos quando essa série de quatro ou cinco livros foi lançada e virou febre no país. Todo mundo lia. E lá fui eu, pegar os dois primeiros volumes emprestados de uma tia, para desvendar quais mistérios poderia ocultar a história do Rei Arthur contada pela perspectiva feminina. Putz, era uma complicação. Demorou um pouco até eu entender quem era quem - vários nomes de personagens usados por Marion Zimmer Bradley não correspondiam aos nomes que a gente aprendeu; Guinevere virou Gwynhefar, por exemplo. Horrível.

Então o primeiro volume foi lido meio aos trancos e barrancos, mas ainda assim tive vontade de continuar e conhecer o resto da história. No segundo, desandou. Achei tudo chato, fiquei irritada com aquela coisa de "você não pode fugir do seu destino", muito personagem não fazia nexo... Abandonei. Algum tempo depois, dei outra chance pra Marion Z. B. com um livro sobre Cassandra e outras personagens da mitologia grega; não me lembro do nome. Mas a fórmula era a mesma. Larguei também.

4 comentários:

Bruce disse...

Então tente dar uma chance à lenda de Artur, com a trilogia Crônicas de Artur de Bernard Cornwell

Isabel Pinheiro disse...

Bruce, vou tentar sim, mas acho que com a série do T.H. White, sabe qual é? Pelo menos já tenho os dois primeiros volumes... Bjs!

Bruce disse...

Já li e não gostei... Desculpe por ser tão direto, hehehe...

Sou assim mesmo. Confira em nosso blog

http://bruceediana.wordpress.com/

Isabel Pinheiro disse...

E eu não sei? ;-)