quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Por acaso

Por acaso
Ali Smith (Companhia das Letras, 2006)

Li esse livro na edição britânica que aparece aí do lado. E não consigo me lembrar de NADA dele. Bem, quase nada: sei que trata de uma família de férias numa casa alugada, que durante a temporada aparece uma garota cheia de mistérios e que cada capítulo é narrado por um personagem (mentira, isso eu também não sabia; vi num resuminho do livro ao procurar a capa que saiu na Inglaterra).

Como diz Pierre Bayard em Como falar dos livros que não lemos, um livro esquecido é um livro não-lido. Acredito. Não consigo saber se eu gostei da história, não me lembro de nenhum acontecimento especial na trama, não sei que sensações ela causou em mim. Pior, muito pior: não deve fazer dois anos da leitura. Será que minha memória anda bem mais deteriorada do que eu acredito ou o livro é tão desinteressante que não consegui reter nadinha dele?

2 comentários:

César disse...

Me lembro quando fui ler "Ninguém Nada Nunca" do Juan José Saer eu achei (Oh! Sacrilégio) chatíssimo! Já durante a leitura eu já sabia que não ia ficar nada na minha cabeça... Um dia desses eu olhei para ele e só me lembrei da sensação nada agradável que foi ler! Terrível! Nunca mais tive ânimo para ler outros livros dele!

K. disse...

Hahaha, sua memória não está deteriorada. É que ela está cheia de outras coisas. Eu também não lembrava de praticamente nada do livro do Paul Auster que li, acho, em maio do ano passado. E olha que eu gostei do livro. Mas bem, já comentei, né, que esqueço todo fim de livro e de filme depois de poucos meses de tê-los vivenciados?