segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

The meaning of sunglasses

The meaning of sunglasses
Hadley Freeman (Viking UK, 2008)

Eis um livro muito divertido para quem lê bem em inglês, acha graça no humor britânico e conhece minimamente as pessoas (estilistas, modelos, ícones) e os termos (boot cut, ankle boot, g-string) do chamado mundo fashion. Mesmo para quem se deixou levar pelo subtítulo, A guide to (almost) all things fashionable, e percebeu que, de guia, esse pequeno volume não tem nada.

Organizados em ordem alfabética, os verbetes tratam, na maioria das vezes, da opinião quase sempre ácida da autora sobre, por exemplo, babados ("from French ingénue to Bozo the clown"), casacos de pele ("bad, and definitely a little bit nazi"), manicure e pedicure ("and the ever-raising bar of personal upkeep"), desfiles de moda ("Darwin in motion"). No meio de tudo isso, entre uma risadinha irônica e uma sobrancelha levantada pela dúvida, dá pra encontrar tiradas valiosas - como as que eu traduzo livremente a seguir.

"Cantemos a uma só voz, meninas: uma bolsa nunca nos deixa gordas."

"Ao contrário do que sua mãe sempre disse, o nível de vulgaridade numa roupa não tem nada a ver com a barra curta, o salto alto ou a saia apertada: tem a ver com a obviedade da mensagem."

"O motivo das mulheres amarem bolsas é o mesmo de amarem sapatos: eles não fazem ninguém ficar mais gorda, você não precisa tirar a roupa para experimentá-los, tamanho não faz diferença (ou pelo menos não tem relação nenhuma com sua barriga) e eles nem sempre ficam melhores na Kate Moss do que em você - o que é tudo praticamente a mesma coisa, dita de quatro maneiras diferentes."

"Eis o que uma bota deve fazer: mantê-la aquecida, cair bem, facilitar a locomoção e ser confortável. Eis o que uma ankle boot faz: absolutamente nada disso."

"Exceto por shorts, algumas minissaias e uma jaqueta informal, denim devia ser usado somente em jeans."

2 comentários:

bruceediana disse...

D. ainda não conhece este livro. Ela está querendo ler alguns livros em inglês. Acho que esse é um bom ponto de partida. Afinal o assunto é de extremo interesse feminino...
beijos, WaldirPC

Isabel Pinheiro disse...

Waldir, acho que ela pode gostar mais de The One Hundred (http://leiturasisabel.blogspot.com/2008/09/one-hundred.html). A leitura é mais fácil e o tema continua absolutamente interessante. :-) Beijos!