sábado, 14 de fevereiro de 2009

The little black book of tea

The little black book of tea
Mike Heneberry (Peter Pauper Press, 2006)

Há algum tempo, fui obrigada a trocar o café pelo chá - o preto tem tanta cafeína quanto, mas com um pouquinho de leite faz menos mal ao meu combalido estômago e, devo dizer, adoro a bebida. Chá com leite, sim, como fazem na Inglaterra com assam, english breakfast e outros tipos que eu estou aprendendo a conhecer (graças a esse livrinho de Mike Heneberry, à Twinnings e ao free shop).

Descobri que existem os puros, como assam, ceylon e darjeeling, e os blends, como english breakfast, earl grey e chai, misto de chá preto com especiarias que experimentei uma vez nos Estados Unidos e tomei tanto, mas tanto, que o estômago gritou outra vez. Hortelã, laranja, erva-cidreira e quetais não contam - são infusões, ou tisanas, pois o nome chá só deveria ser usado para as bebidas produzidas a partir da Camellia sinensis. Pior, dão origem a combinações estapafúrdias vendidas em saquinhos: a Twinnings tem baunilha com coco, a Dr. Oetker produz menta com chocolate, a Leão faz morango com baunilha. Blergh.

Não gosto de chá verde. O chá branco eu nunca provei - trata-se, segundo Mike Heneberry, de uma variação do chá verde, o que torna errada a informação que eu dei em outro post: existem quatro tipos fundamentais de chá, e não três, todos produzidos a partir da Camellia sinensis. E como é que uma só planta dá origem a tanta variedade de chá? Pelo lugar e altitude em que ela é cultivada, em primeiro lugar, e pelo método de fermentação das folhas. Além de todos esses básicos, Heneberry compila uma série de receitas de bebidas e comidinhas em seu livro. Ótimas para um dia feio e chuvoso, como hoje.

2 comentários:

bruceediana disse...

Cara mia. No seu vasto conhecimento literário conheces alguma obra do mesmo naipi sobre o café?

Bruce

Isabel Pinheiro disse...

Bruce, querido, tem um dessa mesma coleção. Talvez você consiga encomendar na Cultura... Eu não conheço, mas se esse livrinho sobre chá é bacana, bem capaz de ser bacana também o de café. Beijos!