segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Toujours Provence

Toujours Provence
Peter Mayle (Vintage Books, 1992)

Os livros de Peter Mayle - eu comecei com Hotel Pastis - fazem parte do gênero ai-que-inveja-absurda-da-vida-desse-cara. Numa versão "crônicas", é mais ou menos como o Minhas receitas da Provence, de Patricia Wells. Sei não, esse povo parece ter o sério e prazeroso distúrbio de esfregar na cara da gente como a vida pode ser boa e feliz e divertida, principalmente quando se tem uma conta corrente abastada e uma casa na Provence. Ai que inveja absurda da vida desse cara!

Bem, eu sou partidária ferrenha da literatura como incentivadora (ou promotora) de sonhos, então adoro ler o Peter Mayle e a Patricia Wells, e imaginar como seria a minha vida entre os mercados de frutas e legumes frescos da aldeia, os problemas com encanadores, os turistas enxeridos, os jantares informais com os vizinhos, cheios de comidinhas gostosas e vinhos idem. É bacana pensar que um dia eu também posso circular, ainda que a passeio, por lugares chamados Cavaillon, Buoux, Ménerbes, Gordes. E, enquanto não acontece, sonhar com isso nos livros.

7 comentários:

bruceediana disse...

Então inclua no seu cardápio os livros da Frances Mayes, para viver também na Italia, Espanha, Marrocos...

[Bruce]

Isabel Pinheiro disse...

Bruce, pro Marrocos eu viajo também com outra autora culinária, a Paula Wolfert. Ela tem um livro chamado "Cozinha mediterrânea" que é demais. Fala do tempo que morou acho que em Tânger, e dá-lhe histórias das especiarias que encontrou nos souks, das laranjeiras maravilhosas, das vizinhas que a ensinaram a fazer pastilla, cornes de gazelle e quetais... Outro sonho. Bjs!

Isabel Pinheiro disse...

Aliás, vcs comeram cornes de gazelle? Uns amigos meus disseram que é divino maravilhoso!

bruceediana disse...

Sim, comemos. Não foi a experiência gastronômica da vida... Da pastilla eu gostei, D. odiou. Mas o melhor doce encontramos numa patisserie do tipo velhinha/tradicional/sujinha. Parecia um muffin, só que era feito com uma massa úmida de amêndoas. E estava morno. Espera um pouco, estou babando no teclado...
[Bruce]

bruceediana disse...

Ah, e vou já procurar este livro e colocar na lista da Cultura. E você não respondeu, sem chances para Frances Mayes? Não é aquela pasmaceira do filme...

[Bruce]

Isabel Pinheiro disse...

Você sabe que eu já dei um livro dela de presente, mas nunca tive aquele "clique" de "ei, eu preciso ler isso agora"? E nem vi o filme. Vai ver é mesmo medo de sentir ainda mais inveja desse povo boa-vida... :-)

bruceediana disse...

E o livro da Paula Wolfert em portugûs está irremediavelmente esgotado. Nem no site do sebo virtual... Um dia eu encontro.

[Bruce]