terça-feira, 30 de setembro de 2008

Ou isto ou aquilo

Ou isto ou aquilo
Cecilia Meireles (Nova Fronteira, 2002)

Muita gente acha Ou isto ou aquilo - o poema - meio bobo. "Ou se tem chuva e não se tem sol / Ou se tem sol e não se tem chuva!". Eu não acho. Tá certo, é tudo bem óbvio. Mas o poema tem a minha cara: a do indeciso. Ou inseguro. A de quem, diante de duas situações tão diferentes, e quase sempre excludentes, não sabe ou não pode escolher o caminho do meio.

Em quase toda a minha vida profissional eu não fiz outra coisa senão tomar decisões. E mesmo assim sinto uma dificuldade enorme em fazer escolhas fora do trabalho. É como se eu não acreditasse que posso mesmo ser boa nisso. Então nessas horas de angústia - como a de hoje, como a que já vem vindo há semanas - eu recorro a Cecilia Meireles. O poema não me ajuda a escolher. Mas mostra que não estou sozinha nisso.

Um comentário:

K. disse...

Eu simplesmente amo esse poema. Cheira infância. Eu me lembro direitinho da primeira vez que o escutei - porque aos 4 anos eu ainda não lia =). Quem o declamou foi o Marcelo Tas, quando interpretava o prof. Tibúrcio, no sensacional programa infantil chamado RA-TIM-BUM. Eu me lembro também de ter ficado inconformada com o verso: “Ou se calça a luva e não se põe o anel,/ou se põe o anel e não se calça a luva!” Nessa época, eu acha um luxo usar anel com luvas de cetim. =)