segunda-feira, 1 de setembro de 2008

A vida secreta dos grandes autores

A vida secreta dos grandes autores
Robert Schnakenberg (Ediouro, 2008)

A idéia é muito boa - contar podres e curiosidades de escritores famosos em forma de almanaque, e com o traço divertido de Alan Sieber. Teria dado um bom livro, não fossem três problemas que, de tão básicos, dão vontade da gente escrever para a editora e pedir o dinheiro de volta, como fazemos quando a geladeira vem quebrada ou o microondas não funciona: tradução, edição e revisão. Eu trabalho com livros e revistas. Sei que é difícil, quase impossível, publicar alguma coisa sem que passe ao menos um errinho. Mas errar ao mesmo tempo em três coisas tão primárias é abusar da boa-vontade do leitor. Apenas um exemplo de cada:

Tradução - Quem tem transtorno obsessivo-compulsivo sofre de DOC? Para o tradutor, é dessa doença que padece Dickens. E não de TOC, como estamos acostumados a ler nas notícias sobre o Roberto Carlos.
Edição - Se a obra de Tolkien é tratada no livro como O senhor dos anéis, em claro e bom português, por que dizer que as principais obras do sujeito foram The fellowship of the ring, The two towers e The return of the king?
Revisão - "Em termos de volume, as contribuições de Salinger aos cânones literários foram magros." Concordância, alguém? As contribuições foram magros?

Shakespeare morava em Stratford-upon-Avon ou em Stratsford-upon-Avon? O nome do poeta era Percy Bysshe Sheley ou Percy Bysshe Shelley? E por que, em nome de todos os deuses dos sinais gráficos, colocar aspas em palavras e expressões como carona, bombas (fracassos) e neurose generalizada? O livro poderia ser bom, sim. Eu não sabia que Virginia Woolf escrevia em pé nem que Charles Dickens proibiu, em testamento, que se erguessem quaisquer estátuas em sua homenagem. Mas, sinceramente, gostaria de receber meu dinheiro de volta.

2 comentários:

Anônimo disse...

Isabel,
Mesmo que não dê retorno, eu escreveria para a Ediouro reclamando da edição do livro. São erros básicos, vergonhosos para qualquer editor. Eu também trabalho com livros (www.seoman.com.br) e minha maior preocupação é (tentar) deixar o texto limpo - as vezes pode escapar um erro de digitação, mas de português é triste...

Clara Lopez disse...

concordo com o anônimo, isabel, eu também escreveria para a editora, já que o livro vale a pena.
um abraço,
clara lopez