segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Quadrinhos Celton

Quadrinhos Celton
Lacarmélio (edição do autor, 2009)

Eu não sou muito chegada em quadrinhos - teve uma época em que eu gostava muito do Batman, mas acho que aqui no blog abri apenas uma exceção, para as tirinhas do Calvin. Só que foi impossível resistir à obra de Lacarmélio, um sujeito que percorre as ruas de Belo Horizonte vestido num reluzente terno amarelo e carregando um imenso estandarte que apregoa sua obra. "Estou vendendo revistas em quadrinhos que eu mesmo fiz", diz a placa. No anúncio, custa R$ 3; Lacarmélio vende por R$ 2.

Na última sexta-feira, cruzei com Lacarmélio subindo e descendo a rua Sergipe, na Savassi, enquanto vendia a edição número 22 dos quadrinhos de Celton, o personagem que criou. Título: O combate da sogra com o capeta (infelizmente, estou sem scanner e não achei a imagem para colocar aqui; é o desenho de uma mulher armada com uma vassoura brigando com o demônio e seu tridente). Logo na primeira página está o crédito: "História, esboços, desenhos, arte-final, pesquisas, computação gráfica, diagramação final, vendas nas ruas e erros que são muitos: Lacarmélio A. Araújo".

A trama é fraquinha. Mesmo assim, fiquei curiosa pra ver outras de suas edições, como a que trata da construção de BH e as histórias baseadas em lendas urbanas da cidade. Porque ver Lacarmélio em ação, ler as "cartas dos leitores" que ele edita nas revistinhas e saber - a se acreditar no expediente da publicação - que o cara faz tudo sozinho, com dinheiro do próprio bolso, foi muito importante pra mim num momento em que eu não estava acreditando em quase mais nada.

7 comentários:

Veroca disse...

Isabel, conheço Lacarmélio e seu Celton, e realmente ele faz tudo. Sempre o vejo em um sinal (farol hehehe) perto da minha casa. Sabe, da próxima vez que o vir vou dizer-lhe que alguém, num momento de carinho, falou algo bonito sobre ele e te digo: há de vir num momento mágico em que seja muito importante pra ele também saber disto. Beijo meu.

Isabel Pinheiro disse...

Veroca, que bacana! Foi muito bacana ver o Lacarmélio em BH na semana passada, sim. E obrigada pela leitura do blog!
Um beijo, Isabel

Maria Tereza disse...

Sou de BH e sempre "trombo" com o criador do Celton. Assisti a uma entrevista dele, que dizia que mantém a família (ele,mulher e dois filhos que estudam em escola particular) com a vendas da revistinha.

Isabel Pinheiro disse...

Que bacana, Maria Tereza! Fico muito feliz em saber que a iniciativa dele deu certo. Um abraço, Isabel

Ed disse...

Conheço o Lacarmélio, já o entrevistei e tal. É uma história de vida curiosa (por anos ele tentou conseguir vaga em grandes editoras de quadrinho), mas a sua obra de ficção é muito fraca. Mas uma obra não é tudo, não é mesmo?

OS MORTOS disse...

Olá,pessoal. Conheço o CELTON...Como poderia esquecer? Em 1989 eu e meu primo Gió lançamos em BH a revista de HUMOR chamada BRAZORRA-RIR PRA NÃO CHORAR e chamamos o Celton pra PRODUZIR nossa revista... Que erro! Na época meu primo vendeu duas VACAS,coitado e o resultado... Bem, a revista... Ele alterou a capa de nossa revista, a qualidade do papel... Fora isso, na contracapa tem uma propaganda de uma revista dele... De qualquer maneira, BRAZORRA foi um marco em nossas vidas. Daí pra frente, eu publiquei minhas tiras OS MORTOS, OS VIVOS e contos MENINOS DO BRASIL nos jornais O ESTADO DE MINAS, DIÁRIO DA TARDE, HOJE EM DIA, fui colaborador do Ziraldo, MAD... Lancei livros... Celton, não esqueço nunca... E como poderia esquecer,né?
Sarney, Celton, inflação 86% ao mês...

Um abraço a todos,

charles
araujo.

http://fotolog.terra.com.br/brazorra

Anônimo disse...

conheça o WebSite do Celton http://www.celtonquadrinhos.com.br